e

m

a

p

o

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mentira! — disse o operário. — Não podes dar-me o que é meu.

VINÍCIUS DE MORAES