os dias todos iguais, esses assassinos...

 

 
      AMÁLIA RODRIGUES Grito

 

 

 

 

 

 

#165 A VIDA É UMA DANÇA...

 

«Eu só poderia crer num Deus que soubesse dançar.»

NIETZSCHE, assim falou Zaratustra.

 

Life is a dance... «I would believe only in a God that knew how to dance.»

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

© carlos vilela

 

 

 

Maria Gonçalves Malta (Vilar, Boticas, Barroso) foi a minha primeira grande história fotográfica. Exactamente há quatro anos atrás, a 13 de Maio de 2006. ANTERO DE ALDA

 

 

É preciso beber..., disse Celan. É preciso dançar para estar no mundo.   A VIDA É UMA DANÇA

 

 

Santo Tirso, 2010.

#164 PARA ONDE VAMOS?

 

 

 

 

 

© rui pires

 

António (ainda) — o «Tóino» de Jueus. Fotografias da série "Momentos Rurais".

 

Serra do Caramulo, 2009.

#163 ROMANCE DO HOMEM RICO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

© antero de alda

 

Jardim Gonçalves, ex-gestor do BCP, recebe de reforma 173 mil euros mensais.

Ninguém sabe para que é que o homem precisa de tanto dinheiro, mas é certo que também sobre ele (como sobre todos os Mexias deste país) se dirá um dia: mexeu, mexeu, mas já não mexe...

 

António (o «Tóino» de Jueus). Serra do Caramulo.

ROMANCE DO HOMEM RICO

 

Abril de 2010.

#162 O GATO ESTÁ A COMER AS ROSAS...

© paulo fogg

 

"o gato está a comer as rosas:/ ele é assim./ Não o impeçam, não impeçam/ o mundo de girar,/ as coisas são assim./ O três de Maio/ foi nublado; o quatro de Maio/ quem sabe. Varram/ a carne das rosas, atirem os restos/ à chuva./ Nunca come/ todas as migalhas, diz/ que os corações são amargos./ Ele é assim, conhece/ o mundo e o tempo."// DENISE LEVERTOV, O Sábio (Trad. José Alberto Oliveira)

 

Vila Real, 2009.

#161 A LOUCA DE FERVENÇA

 

«Todos vós estais convencidos de que um rei, para além da sua riqueza, é o senhor

dos seus súbditos. Mas, se ele tiver no peito um coração brutal, se for insaciável

na sua cobiça, nunca se mostrar satisfeito com o que possui, não concordareis comigo

que é miserabilíssimo?»

 

 

 

 

 

 

 

«Se houver algum homem que se oponha à torrente louca da multidão, que se retire sozinho para um deserto onde possa gozar à vontade os frutos da sua sabedoria. E como se poderá humanizá-lo, senão com adulação?»

 

 

© antero de alda

 

«Por isso, digníssimo senhor, estimo que esteja são e tome também animosamente a sua parte de loucura...» ERASMO (adapt.)

 

 

Maria do Carmo (81).

Alvão, Janeiro de 2010.

[ início home ]  [ anterior prev ]  [ seguinte next ]